segunda-feira, 18 de abril de 2011

Entrada Para Raros


No inicio era o verbo... e o verbo era Deus... e o verbo estava com Deus,
e já não eram sós, ambos conjugavam-se entre si,
discutiam quem seria a primeira e a segunda pessoa,
quem era verbo... quem era Deus,
a ação e a interpretação... quem era a parte e quem
era o todo.
Deus (o pai, o filho e o espírito santo),
era também o verbo (regular e irregular)
e todos questionavam-se sobre quem seria o sujeito
e quem seria o predicado,
quem se conjugaria no pretérito e quem renunciaria

a forma mais que perfeita!
Deus era o verbo e o verbo era Deus,
conjugavam-se de maneira irregular... explicitando
suas diferenças,
reconhecendo os fragmentos e os complementos
buscavam a medida certa
E assim... reconheceram-se uno...
Eu deus, tu deus, ele deus, nós deus, vós deus... eles
deus
Somos dotados deste curioso poder,
mudamos nosso significado, nosso signo,
nosso comportamento e nossos conceitos
que por sua vez chegam ate nós depois de se
modificarem
muitas e outras vezes!
temos uma ferramenta e tanto nas mãos, e nos pés...
Temos acorrentados nossos motivos de sobra pra
relaxarmos
e acomodarmos com a vida que levamos agora...

O teatro mágico é o teatro do nosso interior...
a história que contamos todos os dias
e ainda não nos demos conta...
as escolhas que fazemos em busca dos melhores atos,
dos melhores sabores,
das melhores melodias e dos melhores personagens
que nos compõem,
as peças que encenamos e aquelas que nos encerram...
... nosso roteiro imaginário é a maneira improvisada

de viver a vida...
de sobreviver o dia, de ressaltar os tombos e relançar
as idéias,
o teatro nosso de cada dia...


O Teatro Mágico Entrada para Raros.

2 comentários:

  1. Adoro texto assim, que brincam com as palavras, e o conteúdo é muito bonito tb, :D

    ResponderExcluir
  2. Éh... bom seria se as pessoas refletissem o que o texto diz.
    Muito bom o texto e a estrutura.

    ResponderExcluir